Crime e violação dos direitos humanos continuam a desafiar a República Centro-Africana

7 julho 2011

Discursando no Conselho de Segurança, representante do Secretário-Geral no país aponta para lacunas forças armadas e violações de direitos humanos impunidade

Eleutério Guevane, da Rádio ONU, em Nova Iorque.

O crime violento aliado às violações dos direitos humanos continua os desafios da República Centro-Africana, de acordo com a representante do Secretário-Geral no país, Margaret Vogt.

Num informe sobre a situação na República Centro-Africana, apresentado, esta quinta-feira, no Conselho de Segurança, Vogt apontou avanços alcançados desde o estabelecimento do Escritório Integrado de Manutenção de Paz da ONU, em Janeiro.

Violência

O país é marcado por conflitos étnicos no norte, como resultado do alastramento da violência no Chade e na província sudanesa de Darfur e  ataques de rebeldes do Exército de Resistência do Senhor, LRA, do Uganda.

De acordo com a representante, apesar do estabelecimento de várias instituições de governação e implementação de leis importantes, a pobreza extrema continua a ser um dos principais obstáculos.

Impunidade

Entre os desafios apontados constam as fracas instituições nacionais, corrupção, altos índices de criminalidade, infracções perpetradas por forças armadas, violações de direitos humanos e impunidade.

Margaret Vogt apontou para melhorias na situação de insegurança, mas alertou para a existência de bolsas de instabilidade, principalmente fora da capital Bangui.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud