Violência em acampamento de refugiados faz dois mortos no Quénia

1 julho 2011

Tumultos eclodiram em Dadaab, na sequência de protestos contra o encerramento de estruturas ilegais de distribuição alimentar; refugiados somalis são a maioria dos albergados no maior acampamento do mundo.

[caption id="attachment_200134" align="alignleft" width="350" caption="Dadaab é considerado o maior acampamento de refugiados do mundo"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU, em Nova Iorque.

Duas pessoas morreram na sequência de tumultos ocorridos em várias partes do superlotado acampamento de Refugiados de Dadaab, a nordeste do Quénia, aponta o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur.

A agência anunciou, esta sexta-feira, em Genebra, que as autoridades tentam conter os ânimos de milhares de refugiados em busca de assistência. No total, o acampamento de Dadaab acolhe actualmente cerca de 370 mil refugiados.

Revolta

O Acnur, que gere o campo, aponta que a que a revolta eclodiu quando a polícia tentava controlar manifestantes que protestavam contra o encerramento de estruturas ilegais de distribuição alimentar instaladas no local.

Além dos dois mortos, dezenas de refugiados ficaram feridos quando a polícia fez uso de munições reais para restaurar a ordem. Segundo o Acnur, o incidente é “sintomático de pressões, num momento marcado pela superlotação agravada pelo grande número de recém-chegados da Somália.”

Segurança

De acordo com a agência,  mais de 61 mil somalis procuram segurança no Quénia desde o princípio do ano. No início de Junho, foram abertos três centros de emergência na região e, desde então, 27 mil pessoas chegaram aos centros.

Dadaab é considerado o maior acampamento de refugiados do mundo e alberga maioritariamente cidadãos somalis fugidos da guerra e fome no seu país.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud