Passar para o conteúdo principal

Violência em acampamento de refugiados faz dois mortos no Quénia

Violência em acampamento de refugiados faz dois mortos no Quénia

Tumultos eclodiram em Dadaab, na sequência de protestos contra o encerramento de estruturas ilegais de distribuição alimentar; refugiados somalis são a maioria dos albergados no maior acampamento do mundo.

[caption id="attachment_200134" align="alignleft" width="350" caption="Dadaab é considerado o maior acampamento de refugiados do mundo"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU, em Nova Iorque.

Duas pessoas morreram na sequência de tumultos ocorridos em várias partes do superlotado acampamento de Refugiados de Dadaab, a nordeste do Quénia, aponta o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur.

A agência anunciou, esta sexta-feira, em Genebra, que as autoridades tentam conter os ânimos de milhares de refugiados em busca de assistência. No total, o acampamento de Dadaab acolhe actualmente cerca de 370 mil refugiados.

Revolta

O Acnur, que gere o campo, aponta que a que a revolta eclodiu quando a polícia tentava controlar manifestantes que protestavam contra o encerramento de estruturas ilegais de distribuição alimentar instaladas no local.

Além dos dois mortos, dezenas de refugiados ficaram feridos quando a polícia fez uso de munições reais para restaurar a ordem. Segundo o Acnur, o incidente é “sintomático de pressões, num momento marcado pela superlotação agravada pelo grande número de recém-chegados da Somália.”

Segurança

De acordo com a agência,  mais de 61 mil somalis procuram segurança no Quénia desde o princípio do ano. No início de Junho, foram abertos três centros de emergência na região e, desde então, 27 mil pessoas chegaram aos centros.

Dadaab é considerado o maior acampamento de refugiados do mundo e alberga maioritariamente cidadãos somalis fugidos da guerra e fome no seu país.