ONU espera que governo do Líbano ajude tribunal do caso Hariri
BR

30 junho 2011

Secretário-Geral reagiu ao anúncio sobre ordens de prisão contra acusados de participação no assassinato do ex-primeiro-ministro do país num atentado a bomba em fevereiro de 2005.

[caption id="attachment_200061" align="alignleft" width="350" caption="Conselho de Segurança também investigou a morte de Hariri em 2007"]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, disse esperar que o governo do Líbano coopere com o Tribunal Especial para o país que apura o assassinato do ex-primeiro-ministro Rafik Hariri.

Ele morreu em fevereiro de 2005 num atentado com um carro-bomba em Beirute, capital do país.

Conteúdo

Em nota, Ban afirmou que recebeu a confirmação dos indiciamentos, mas segundo ele, o conteúdo das ordens de prisão não foi revelado às Nações Unidas.

O tribunal é independente e foi estabelecido após o pedido do governo libanês. O mandato da corte é garantido pelo Conselho de Segurança. Ainda segundo a resolução, autoridades libanesas são responsáveis por localizar, prender e transferir os acusados para o tribunal.

Ban Ki-moon disse que a ONU continuará dando forte apoio ao Tribunal Especial, no sentido de descobrir a verdade e enviar uma mensagem de que a impunidade não será tolerada.

Ele reiterou a importância de que todos os governos solicitados cooperem com os trabalhos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud