Banco Mundial quer melhor prevenção do HIV entre homossexuais
BR

16 junho 2011

Estudo divulgado, na semana passada, pede a governos e doadores para investir em mais ações para homens que têm sexo com outros homens; taxas de contaminação são 10 vezes maior que entre homens heterossexuais.

[caption id="attachment_198312" align="alignleft" width="350" caption="Taxa de contaminação é dez vezes maior."]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

Um estudo do Banco Mundial sobre a contaminação com o HIV entre homossexuais masculinos sugere que governos e doadores precisam melhorar suas ações de prevenção e tratamento entre estes grupos.

De acordo com o Programa Conjunto sobre HIV/Aids, Unaids, a taxa de contaminação com o vírus entre homens que fazem sexo com outros homens chega a ser 10 vezes maior que entre heterossexuais masculinos.

Encontro de Alto Nível

A pesquisa do Banco Mundial foi publicada no último dia 8, às vésperas do Encontro de Alto Nível sobre HIV/Aids, realizado na sede da ONU, na semana passada.

O documento foi produzido com a ajuda do Programa da ONU para o Desenvolvimento, Pnud, e a Escola Bloomberg de Saúde Pública da Universidade John Hopkins.

O infectologista da Organização Mundial da Saúde, OMS, Marco Vitória, disse à Rádio ONU, de Genebra, que apesar da queda de 25% no número de novas infecções, em alguns setores da sociedade, os índices de contaminação continuam subindo.

“A resposta global tem se mostrado como uma resposta de estabilização e até mesmo declínio no âmbito global, mas quando se faz uma análise mais regionalizada ou setorizada, encontramos situações bem heterogêneas em termos de tratamento. Daí uma necessidade de continuar investindo na vigilância epidemiólógica onde o problema está ocorrendo. E saber que tratamento e prevenção são parte da mesma moeda. Um não pode caminhar sem o outro”, afirmou.

O estudo do Banco Mundial revela que a América do Sul é a região que concentra o maior número de infecções com o HIV por homens que fazem sexo com outros homens. Já na África Subsaariana, os riscos de infecção para homens gays ocorrem pela contaminação generalizada com o vírus entre heterossexuais.

O diretor do Grupo de HIV do Pnud, Jeff O’Maley, disse que em muitos países a negligência da contaminação entre gays tem minado a resposta eficiente à epidemia.

*Apresentação: Luisa Leme, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud