Homens armados agravam sentimento de insegurança dos marfinenses

15 junho 2011

Relatório da comissão de inquérito sobre o país dá conta da continuação de violações e ocorrência de represálias contra alegados apoiantes da oposição.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A presença de jovens armados, que alegam pertencer às forças republicanas em Cote d’Ivoire, alimenta o sentimento de insegurança das populações, referiu a Comissão de Inquérito enviada ao país pelo Conselho dos Direitos Humanos.

As constatações do relatório, apresentado esta quarta-feira em Genebra, apontam para a ocorrência de represálias desencadeadas, desde Março, por apoiantes e milícias armadas aliadas ao presidente Alassane Ouattara. Os alvos são indivíduos considerados membros da oposição, aponta o informe.

Mortes

Após as presidenciais de Novembro de 2010, eclodiu uma onda de violência devido à recusa do ex-presidente Laurent Gbagbo em deixar o cargo para o seu sucessor. De acordo com a ONU, centenas de pessoas morreram e mais de 1 milhão foram desalojadas.

O presidente da Comissão, Vitit Muntabhorn, considera essencial que sejam tomadas medidas para o desarmamento, desmantelamento de milícias e estabelecimento de um exército capaz de respeitar os direitos humanos.

Crimes

Muntabhorn defende que a partir de relatos e constatações no terreno o grupo tomou nota de actos que podem ser considerados crimes contra a humanidade, sendo urgente o reestabelecimento da segurança por parte do governo.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud