Perspectiva Global Reportagens Humanas

Plantio da acácia para combater a desertificação em África

Plantio da acácia para combater a desertificação em África

FAO quer replicar experiência do Senegal para reverter aridez; dois terços das terras do continente são classificadas como áridas ou desertas.

[caption id="attachment_198064" align="alignleft" width="350" caption="Projeto visa devolver fertilidade de terras áridas."]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Um projecto-piloto de arborização, implementado no Senegal, pode devolver a fertilidade de terras áridas africanas, aponta a Organização da ONU para a Agricultura e Alimentação, FAO.

Dois terços das terras do continente são classificadas como áridas ou desertas e a desertificação  afecta um quarto da população mundial. De acordo com a agência,  a experiência tem potencial para para transformar as vidas dos mais vulneráveis.

O professor de Física e Alterações Climáticas da Universidade de Lisboa, Filipe Duarte Santos,  disse à Rádio ONU, da capital portuguesa, que o factor investimento é importante para o sucesso do reflorestamento em África.

“Tem havido um retrocesso do Saara para norte. Tem-se conseguido , em alguns caso travar  este processo no Sahel. Diria que  é um risco que está melhor identificado e pode ser travado se houver vontade política, recursos e investimento e, em grande parte dos países mais desenvolvidos.”

Benefícios Económicos

O projecto consiste no plantio de acácias em terras áridas tendo em vista  o combate à desertificação e trazer benefícios económicos às comunidades locais.

No âmbito da iniciativa, lançada entre 2004 e 2007 numa parceria entre a FAO e o serviço senegalês de florestas,  foram distribuídas sementes e formadas  mulheres para plantar e vender a resina produzida a partir da acácia.

Maturidade

No ano passado, as árvores atingiram a maturidade e delas foi extraída a resina, para ser vendida para as indústrias farmacêutica e alimentar.

Cinco países do Sahel serão os próximos a acolher o projecto de  reflorestação num projecto que deve abranger as terras limítrofes do Deserto de  Saara e a região do Sahel, enquanto fundos são recolhidos para a sua extensão para o resto do continente.