Mundo faz reflexão sobre impacto social e económico dos oceanos

8 junho 2011

Em Nova Iorque, Brasil aborda questões ligadas aos maiores desafios para a proteção dos mares.

[caption id="attachment_197352" align="alignleft" width="350" caption="População costeira pode atingir 6 mil milhões."]

Daniela Gross, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O mundo celebra, esta quarta-feira, o Dia Mundial dos Oceanos. A data foi estabelecida pela Assembleia Geral da ONU, em 2008, para incentivar uma conscientização global sobre os desafios das comunidades em relação aos oceanos.

Um painel de discussão com a presença de especialistas na área marcou igualmente as celebrações. Entre os assuntos discutidos conta os impactos sociais e económicos e o papel da juventude nos oceanos.

Discussões

A ministra da Missão Permanente do Brasil junto a ONU, Maria Teresa Mesquita Pessôa discutirá o tema dos oceanos e o meio ambiente. Para a ministra, a exploração dos recursos pesqueiros é um dos maiores problemas enfrentados actualmente em relação aos oceanos.

Maria Teresa defendeu, em conversa com a Rádio ONU, em Nova Iorque, que o branqueamento dos recifes de coral devido às mudanças climáticas também pode ter consequências para o mundo e também para o seu país, o Brasil.

“Nós também temos uma dependência dos recifes de coral para o turismo e para a sustentabilidade dos habitats, e a acidificação dos oceanos provoca um branqueamento destes recifes de coral com um impacto muito grande para estes habitats”, ressaltou.

Para a palestrante, é importante ressaltar o assunto, pelo facto de cerca de 70% do planeta ser coberto por oceanos, e até 2025 existir uma previsão de que a população costeira atinja 6 mil milhões de pessoas.

*Apresentação: Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud