FAO diz que preços dos alimentos vão continuar altos
BR

7 junho 2011

Recordes de colheitas apenas serão suficientes para cobrir o consumo, alerta agência; situação de volatilidade no preço das commodities pode perdurar até 2012.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Um relatório da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, informa que o preço dos alimentos deve permanecer alto.

Uma das razões seria a volatidade do mercado de commodities, segundo a publicação “Panorama da Alimentação”, divulgada nesta terça-feira, na sede da FAO, em Roma.

Baixo Crescimento

De acordo com a agência da ONU, a alta dos preços pode perdurar até 2012. Um outro fator é o baixo crescimento das plantações, que segundo a agência só seriam suficientes para o consumo.

Especialistas afirmam que os próximos meses serão importantes numa possível mudança de quadro. Há estimativas mais positivas para as colheitas na Ucrânia e na Rússia.

Mas o mau tempo nos Estados Unidos e na Europa pode por em risco as plantações de milho e trigo.

Açúcar e Cereais

O diretor da Divisão de Mercado e Comércio da FAO, David Hallam, disse que a alta no preço dos alimentos e a escassez nas colheitas são uma notícia ruim, principalmente para os países de baixa renda.

O preço dos alimentos voltou aos patamares de 2007 e 2008, época da crise dos alimentos. Em maio, no entanto, os preços internacionais caíram 1%.

As baixas ocorreram no valor cobrado pelo açúcar e pelos cereais. Mas os derivados de leite e a carne voltaram a subir.

As projeções para as colheitas deste ano são de 2,3 milhões de toneladas, 3,5% a mais que em 2010 e considerado um recorde.

Já o mercado das oleaginosas não deve ser suficiente para atender à demanda, cada vez maior do setor.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud