Cidades do Norte de África devem perder US$ 1 mil milhão por ano

6 junho 2011

Relatório aponta que desenvolvimento à larga escala e mudanças climáticas requerem melhor planeamento urbano, reformas institucionais e investimentos em infra-estruturas.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Três centros urbanos do Norte de África devem registar perdas acumuladas de mais de US$ 1 mil milhão anuais, caso não sejam reforçadas as estratégias de prevenção de desastres naturais e adaptação às mudanças climáticas.

De acordo com o Banco Mundial, parte da solução para as cidades de Alexandria, Casablanca e Tunes deve ser integrar o clima no planeamento urbano, além de promover reformas institucionais e investimentos em infra-estruturas.

Resistência

Num relatório lançado este fim-de-semana, em Bona, à margem da conferência sobre a “Resistência das Cidades”, a instituição financeira aponta que na última década as cidades têm sido alvo de temperaturas extremas.

É igualmente observado um desenvolvimento à larga escala, que inclui desafios das mudanças climáticas como a subida do nível das águas do mar que tem originado cheias e tempestades violentas.

Vulnerabilidade

O estudo aponta que no Norte de África e Médio Oriente, a tendência de ocorrência de desastres subiu de 8, em 1980, para 15, em 2006. A região é a segunda mais vulnerável aos efeitos das mudanças climáticas no mundo.

A tendência do povoamento nas cidades costeiras deve aumentar, estimando-se uma evolução dos 60 milhões, em 2010, para 100 milhões, em 2030.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud