Iémen está à beira de uma guerra civil, alerta Pillay

27 maio 2011

Alta comissária da ONU para os Direitos Humanos pede cessação do  uso excessivo da força; ONGs de direitos humanos estimam número de mortos em 860.

[caption id="attachment_196520" align="alignleft" width="350" caption="Navi Pillay "]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A alta comissária da ONU para os Direitos Humanos alertou esta sexta-feira para o risco de guerra civil no Iémen, devido ao escalar da violência nos últimos dias.

Em comunicado, Navi Pillay  disse estar alarmada com a repressão violenta em manifestantes e o bombardeamento a áreas residenciais por tropas do governo.

Mortos

O Alto Comissariado para os Direitos Humanos aponta que o número de vítimas civis continua difícil de verificar, mas cita estimativas de ONGs de direitos humanos apontando para pelo menos 860 mortos, incluindo mulheres e crianças. Os protestos anti-governamentais tiveram início em finais de Janeiro.

Pillay pediu ao governo que cesse o uso excessivo e desproporcional da força, e que deixe de ter activistas, defensores dos direitos humanos e jornalistas como alvos.

Ela recomendou que as alegações de crimes cometidos pelas forças de segurança sejam seriamente investigadas.

Em Junho, uma equipa de  investigadores da ONU deve visitar o Iémen, a convite do governo, para avaliar a situação dos direitos humanos no país.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud