ONU: prisão de Mladic é passo importante na luta contra impunidade

26 maio 2011

Ratko Mladic, ex-comandante sérvio, estava foragido desde 1995 e foi indiciado por acusações de participação em crimes de guerra e no massacre de Srebrenica, onde morreram mais de 7,5 mil pessoas.

[caption id="attachment_196459" align="alignleft" width="350" caption="Ratko Mladic "]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O promotor do Tribunal Penal para a ex-Jugoslávia, Serge Brammertz,  saudou a detenção esta quinta-feira de Ratko Mladic, coronel-general e antigo comandante do Exército de República Sérvia da Bósnia-Herzegovina.

Ele foi preso numa aldeia no norte da Sérvia, esta quinta-feira. O presidente sérvio, Boris Tadic, disse que Mladic foi detido após uma “denúncia anónima”.

Papel-Chave

O antigo comandante do Exército foi indiciado pelo tribunal a 25 de Julho de 1995, como criminoso de guerra por acusações de ter tido um papel-chave no massacre de Srebrenica, quando mais de 7,5 mil homens e rapazes foram mortos.

Em reação à prisão, em Paris, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, disse tratar-se “de um dia histórico para a justiça internacional.” Ban elogiou as autoridades sérvias, apontando que a detenção marca um passo importante na luta colectiva contra a impunidade e no trabalho do tribunal.

Em comunicado, o promotor Serge Brammertz indica que a prisão de Mladic pode ter um impacto positivo na reconciliação da região.  O promotor afirmou que acções estão em curso para que Mladic seja transferido para Haia, onde deve responder perante o Tribunal Penal para a ex-Jugoslávia.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud