Mandado de captura contra Kadafi, filho e um colaborador, pedido por TPI
BR

16 maio 2011

Tribunal Penal Internacional se baseia em informações de pelo menos 500 mortes em fevereiro.

[caption id="attachment_195972" align="alignleft" width="175" caption="Muammar Kadafi"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

O Tribunal Penal Internacional, TPI pediu um mandado de captura para o líder líbio Muammar Kadafi, seu filho, Saif al-Islam Kadafi e o chefe dos serviços de inteligência da Líbia, Abdullah al-Sanussi, por crimes contra a humanidade.

Falando à imprensa em Haia, o procurador do TPI, Luis Moreno Ocampo, disse nesta segunda-feira que os três são responsáveis por ataques "generalizados contra civis."

De acordo com o procurador, a emissão dos mandados deve ser decidida pelos juízes do TPI.

Centenas de mortes

Segundo Ocampo, o líder líbio cometeu crimes a fim de preservar a sua autoridade.

Em relato prestado anteriormente ao Conselho de Segurança, o promotor afirmou que segundo informações confiáveis, estima-se que tenham morrido entre 500 e 700 pessoas apenas em fevereiro nos protestos anti-Kadafi.

Crimes de guerra

O relatório apontou indícios de crimes de guerra com a evolução da situação para conflito armado, enumerando ataques intencionais contra não-combatentes e o "aparente uso de bombas de fragmentação."

Nesse domingo o representante do Secretário-Geral para a Líbia, Abdel Elah Al-Khatib, fez uma visita de um dia a Trípoli no âmbito dos esforços diplomáticos para resolver a crise no país.

Fórum pro-Kadafi

Além de reunir-se com o primeiro-ministro, o enviado especial manteve encontros com o chefe da diplomacia e o secretário-geral do Congresso Líbio, um Fórum pro-Kadafi.

Os interlocutores teriam manifestado prontidão em um maior envolvimento e cooperação nos esforços visando a solução da crise.

*Apresentação: Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud