Estudo revela sérios problemas psicossociais nas escolas de Gaza
BR

19 abril 2011

Segundo pesquisa da Unesco, 83% dos alunos da região sofrem de ansiedade e 70% dizem ter pesadelos.

[caption id="attachment_191775" align="alignleft" width="175" caption="Tristeza e medo"]

Daniela Kresch, da Rádio ONU em Tel Aviv.

Um estudo da Organização da ONU para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, revela consequências psicológicas a longo prazo em alunos e professores palestinos, devido à ação militar israelense na Faixa de Gaza, entre 2008 e 2009.

Devido à guerra e ao subsequente bloqueio econômico da região, crianças e adultos do sistema educacional de Gaza sofrem com sintomas de ansiedade, tristeza, estresse, medo e incapacidade de concentração, o que leva a resultados acadêmicos abaixo da média.

Ansiedade e Insegurança

Segundo a pesquisa da Unesco, 83% dos alunos admitem sofrer de ansiedade, 57% dizem que não se sentem seguros nas escolas e 67% têm medo de ataques no caminho do colégio para casa.

Mais de 70% disseram ter pesadelos por causa do confronto, que começou depois que grupos extremistas palestinos lançaram milhares de foguetes e morteiros contra Israel, deslanchando uma violenta reação militar em Gaza.

Performance Piorou

O estudo foi feito um ano depois da guerra, entre dezembro de 2009 e março de 2010, em 90 escolas e quarto universidades da Faixa de Gaza.

Mais de 6 mil professores e alunos foram entrevistados.

Três em cada quatro professores informaram que a performance dos alunos piorou depois do conflito.

A Guerra de Gaza causou a morte de 250 alunos e 15 professores, alguns deles de escolas financiadas pela ONU. Dezoito escolas foram destruídas e 262 danificadas.

Os resultados do estudo foram revelados em meio a divulgação do projeto Educação para Todos 2011, do Relatório do Monitoramento Global, que tem como tema neste ano o impacto de conflitos na educação.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud