ONU aprova criação de tribunais somalis para julgar piratas
BR

12 abril 2011

Resolução do Conselho de Segurança requer apoio de países para projetos de detenção; pirataria causa mais de US$ 7 bilhões em perdas, dizem Nações Unidas.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

O Conselho de Segurança aprovou a criação de tribunais somalis especiais para julgar suspeitos de pirataria no país e na região. A resolução do Conselho, aprovada nesta segunda-feira, é uma tentativa de combater o problema da pirataria que causa mais de US$ 7 bilhões, equivalentes, a mais de R$ 11 bilhões, em perdas.

Os piratas da Somália atacam navios e sequestram os ocupantes para pedir resgates. Muitos reféns terminam mortos em tentativas de libertação ou até mesmo pelos próprios piratas.

Comunidade Marítima

Com a resolução, o Conselho de Segurança também pediu o apoio de todos os países-membros da ONU, de instituições não-afiliadas à organização, e da comunidade marítima internacional.

O documento solicita às instituições a apoiarem projetos de detenção através da criação de um fundo.

A resolução foi adotada, por unanimidade, pelos 15 países-membros do Conselho que pediram à "comunidade internacional, uma resposta abrangente, com vista a combater a pirataria e as suas causas."

Fortalecimento

Entre as medidas propostas estão a cooperação dos países para resolver a questão dos reféns e a prestação de assistência para o fortalecimento das capacidades da Guarda Costeira somali.

A aprovação da resolução responde à recomendação do conselheiro especial do Secretário-Geral para Assuntos Legais sobre Pirataria na Costa da Somália, Jack Lang.

*Apresentação: Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud