OIM renova apelo de ajuda para migrantes da Líbia (Português África)

1 abril 2011

Milhares de pessoas continuam a fugir todos os dias do conflito na Líbia e a serem encaminhadas para os países de origem; organização pede o reforço aos doadores contra a crise humanitária.

João Rosário, da Rádio ONU em Lisboa.

A Organização Internacional para Migrações, OIM, lançou esta sexta-feira um apelo urgente aos países doadores de forma a reunir US$ 160 milhões para continuar a auxiliar os migrantes em fuga do conflito na Líbia.

Repatriamentos

Desde o início da crise, no final de Fevereiro, quase 410 mil pessoas abandonaram a Líbia com o objectivo de regressarem aos países de origem.

A OIM e o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, bem como vários governos, conseguiram conduzir cerca de 84 mil migrantes de regresso a casa.

Por si só, a Organização Internacional para Migrações levou em segurança por terra e mar mais de 2 mil pessoas da cidade líbia de Benghazi, para o Egipto.

Terceiro apelo

O pedido de financiamento à comunidade internacional poderá permitir à OIM retirar mais 75 mil pessoas que conseguiram fugir à violência na Líbia, bem como socorrer os migrantes que ainda se encontram no país em zonas com acessos e que pretendam sair.

A chefe de Missão e representante da OIM em Portugal, Marta Bronzin, disse à Rádio ONU, em Lisboa, porque é essencial que os doadores respondam ao apelo.

"Para permitir que a organização possa continuar a dar o apoio às operações de evacuação no terreno. Até o momento, por causa da falta de fundos, a OIM foi obrigada a reduzir o número de evacuações e de apoio logístico, de uns seis mil embarques por dia a um número mínimo", disse.

Trata-se do terceiro pedido de ajuda da OIM desde o início da crise na Líbia. Até ao momento, a organização reuniu US$ 44 milhões, valor que não chega para cobrir todas as necessidades.

Ajuda alimentar

Também o Programa Alimentar Mundial, PAM, está envolvido na resposta à crise humanitária neste país do norte de África. O PAM conseguiu esta semana entregar centenas de toneladas de alimentos às populações famintas de seis localidades entre as cidades de Ajdabiya e Benghazi, no este da Líbia. Cerca 27 mil pessoas foram assistidas pela agência da ONU e pelo Crescente Vermelho líbio.

O PAM quer ajudar as populações que vivem nas zonas mais afectadas pelos bombardeamentos e onde o preço dos alimentos duplicou.

A agência pretende mobilizar mais de 16 mil e 500 toneladas cúbicas de alimentos para levar às populações famintas do interior do país.

O PAM tem em curso na região uma operação de emergência no valor de US$ 45 milhões com o qual prevê levar assistência a 1 milhão de pessoas na Líbia, Egipto e Tunísia ao longo dos próximos três meses.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud