Brasil fortalece parceria com África na área trabalhista
BR

29 março 2011

Em lançamento do relatório, “Crescimento, Emprego e Trabalho Decente nos Países Menos Desenvolvidos”, representante do Ministério do Trabalho diz que Governo Dilma Rousseff manterá aproximação com nações de língua portuguesa.

Mônica Villela Grayley e João Rosário, da Rádio ONU.

A parceria do Brasil com países africanos de língua portuguesa, reforçada no governo Lula, deverá continuar em várias frentes durante o mandato da nova presidente, Dilma Rousseff.

A afirmação é da chefe da Divisão de Intercâmbio e Cooperação Técnica do Ministério do Trabalho e Emprego do Brasil, Raquel de Carvalho Oliveira. Ela participou do lançamento do relatório "Crescimento, Emprego e Trabalho Decente nos Países Menos Desenvolvidos", durante esta terça-feira, na sede da ONU.

Trabalho Infantil

O Brasil desenvolveu um projeto sobre políticas de salário mínimo em parceria com São Tomé e Príncipe, no oeste da África. Já com Moçambique, o governo brasileiro fortaleceu uma iniciativa sobre trabalho infantil.

"Isso foi uma política do governo Lula, que começou com essa aproximação dos países africanos. E a presidente Dilma com certeza continuará com essa parceria e ajuda aos países africanos. Principalmente os países que falam a língua portuguesa. Pela questão cultural que é muito próxima ao Brasil, então, nós temos essa parceria e ajuda forte aos países africanos", disse.

Exportação Tradicional

De acordo com a Organização Internacional do Trabalho, OIT, que compilou o documento, o sucesso do crescimento econômico é a diversificação da produção em vez da aposta na exportação tradicional de matérias primas. Para a agência da ONU, a diversificação da produção é fundamental para acelerar as economias dos países menos desenvolvidos.

Nos países lusófonos na África, Angola e Moçambique, as políticas de promoção da agricultura resultaram em crescimento de 4% ao ano.

Já Cabo Verde aparece destacado por ter apostado no setor do turismo para criar emprego e crescimento econômico.

O relatório da OIT foi preparado para a conferência dos países menos desenvolvidos que vai ocorrer em Istambul, na Turquia, entre 9 e 13 de Maio.

Dos oito países de língua portuguesa, cinco pertencem ao grupo dos menos desenvolvidos. As três exceções são: Brasil, Cabo Verde e Portugal.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud