ONU alerta sobre situação precária de desalojados no Japão

28 março 2011

O Escritório de Ajuda Humanitária, Ocha, diz que estão a piorar as condições nos centros de acolhimento, onde encontram-se milhares de sobreviventes do tsunami.

João Rosário, da Rádio ONU em Lisboa.

O Escritório das Nações Unidas de Assistência Humanitária, Ocha, considera que, três semanas após o terramoto e o tsunami no Japão, uma das grandes preocupações no país são as condições de higiene nos centros de deslocados onde se encontram mais de 250 mil pessoas.

O Ocha revelou que há registo de aumento de casos de diarreias que revelam que as condições de higiene estão a piorar.

Dificuldades

A falta de combustível é também um problema que está a impedir os voluntários e as agências humanitárias de chegar às populações afectadas.

Mais de 10 mil pessoas foram confirmadas mortas e há cerca de 18 mil desaparecidos, entre eles mil crianças.

Segundo o Ocha, um inquérito nos centros de deslocados demonstra que muitos dos sobreviventes precisam de apoio psicológico. Há queixas frequentes de ansiedade e dificuldade em dormir.

Preocupação

Em consequência do terramoto e do tsumani do dia 11 de Março, mantém-se a preocupação com as fugas de radioactividade da central nuclear de Fukushima.

Segundo agências de notícias, pela primeira vez foi registada contaminação de água com radioactividade fora das instalações da central nuclear.

As agências noticiosas revelam que o Japão voltou a registar um novo sismo na madrugada de segunda feira. Não há registo de vítimas nem danos materiais.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud