Banco Mundial financia bancarização de mais da metade de malauianos

28 março 2011

Segundo a instituição, 17% de mulheres têm acesso aos serviços financeiros no país da África Austral.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Malaui recebeu US$ 28,2 milhões do Banco Mundial para ampliar o acesso aos serviços financeiros para mais de 3,5 milhões de pessoas. Segundo estimativas da instituição, existe potencial para bancarizar 55% da população malauiana.

A gestora do Banco Mundial para o Malaui, Sandra Bloemenkamp, avançou que o montante deve ser aplicado "na promoção da educação e criação de infra-estruturas para reduzir a população excluída dos serviços bancários."

Fraquezas

A fraca protecção ao consumidor, aliada à falta de informação básica sobre serviços financeiros, são apontados pela instituição como obstáculos principais para o acesso dos malauianos à banca.

De acordo com a representante, o financiamento deve elevar a percentagem de mulheres bancarizadas para 40%, até 2016. Actualmente, 17% das malauianas têm acesso aos serviços financeiros.

Crise Económica

O gestor do Projecto de Assistência Financeira do Banco Mundial, Fstap, Samuel Maimbo, defendeu que a crise económica global "sublinhou a importância de desenvolver processos financeiros, com vista a encorajar o crescimento económico e a criação de empregos."

O projecto, a ser implementado pelo Ministério das Finanças e o Banco Central do Malaui, vigora até 2016.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud