Insegurança aumenta fluxo de desalojados no leste da Líbia (Português África)

25 março 2011

Mais de 360 mil pessoas atravessaram a fronteira para os países vizinhos; OIM retoma repatriamento de migrantes para o Egipto.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, manifestou preocupação com informações sobre a chegada de mais desalojados no leste da Líbia.

A agência cita relatos de parceiros apontando para um aumento de deslocados internos, devido à situação de insegurança desencadeada pelos protestos contra o líder Muammar Kadafi.

Resposta Humanitária

Em duas semanas, cerca de 20 mil pessoas procuraram refúgio na cidade de Al Butwen. Dois comboios de viaturas com assistência médica para Benghazi foram enviados pelo Acnur através da Cruz Vermelha Internacional e do Crescente Vermelho na Líbia.

William Spindler, porta-voz do Acnur, de Paris, falou à Rádio ONU acerca das medidas para dar resposta às necessidades dos deslocados líbios.

Refugiados

"Estamos construindo um campo para capacidade para 50 mil pessoas e estamos comprando milhares de tendas no Egipto. É muito preocupante a situação na fronteira", disse.

A Organização Internacional para Migrações, OIM, anunciou o reinício do repatriamento de migrantes, após uma suspensão das transferências do porto de Banghazi para o Egipto, devido a deterioração da situação segurança. A agência anunciou o transporte de cerca de 650 refugiados chadianos durante o próximo o fim-de-semana.

Desde o início da crise, mais de 367 mil pessoas atravessaram a fronteira líbia para os países vizinhos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud