Suspeitas de violações serão investigadas em Cote d’Ivoire (Português África)

25 março 2011

Conselho dos Direitos Humanos dá luz verde para a criação de comissão de inquérito; Segundo parceiros da ONU, violência pós-eleitoral provocou mais de 460 mortos.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Conselho dos Direitos Humanos da ONU aprovou, esta sexta-feira, a criação imediata de uma comissão de inquérito para investigar as violações dos direitos humanos em Cote d'Ivoire, após as eleições presidenciais.

O presidente em exercício, Laurent Gbagbo, rejeita deixar o cargo para Alassane Ouattara, reconhecido internacionalmente como o vencedor do pleito no país, também conhecido como Costa do Marfim.

Mortes

Apoiantes de ambos têm-se envolvido em confrontos, principalmente na capital Abidjã, onde parceiros da ONU estimam que pelo menos 462 morreram devido à violência.

A resolução adoptada por unanimidade pelos 47 membros do Conselho, em Genebra, foi proposta pela Nigéria. O texto sublinha que a crise pós-eleitoral "requer atenção imediata para pôr termo à violência, reforçar o Estado de Direito e a situação dos direitos humanos no país."

Aumento de Desalojados

Entretanto, o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, estima que o número de desalojados devido aos confrontos esteja entre 700 mil e 1 milhão.

Segundo a agência, os deslocamentos devem-se a receios do início de uma guerra, agravados na semana passada com a resposta de "milhares de jovens ao apelo para se juntarem às forças leais a Laurent Gbagbo."

O porta-voz do Conselho dos Direitos Humanos da ONU, Ruppert Coville, disse que informações não confirmadas apontam para a morte de 200 cidadãos da África Ocidental, que são alvos de ataques violentos, a oeste.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud