Somália pede apoio de engenheiros aeronáuticos para ‘ganhar jovens’

24 março 2011

No Conselho dos Direitos Humanos da ONU, ministra de Estado pede atenção às necessidades dos jovens das regiões centro e sul devido à acção de insurgentes.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Governo da Somália pediu, esta quarta-feira, o auxílio de engenheiros aeronáuticos da área militar para fazer chegar serviços básicos às populações do país do Corno de África.

Num pronunciamento no Conselho dos Direitos Humanos, em Genebra, a ministra de Estado, Zahra Mohamed Ali Samatar, disse que o apoio iria para o Governo Federal de Transição e as forças de Manutenção da Paz da União Africana.

Serviços Sociais

Samatar disse estar particularmente preocupada com as necessidades das regiões centro e sul do país, com vista a erradicar a influência política dos insurgentes islamitas sobre os jovens.

De acordo com a governante, engenheiros aeronáuticos ajudariam a ganhar corações e mentes de jovens, providenciando melhores serviços sociais e promovendo o desenvolvimento social.

A Somália está a fazer esforços para o estabelecimento de instituições estatais, após mais de duas décas sem um governo funcional. O país enfrenta confrontos sucessivos, sendo os mais recentes levados a cabo pelos militantes islamitas al-Shabaab.

Mais de 500 mil de somalis estão refugiados nos países vizinhos e dezenas de milhares são desalojados internos devido aos conflitos e à seca.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud