Alegados implicados pela violência no Quénia intimados pelo TPI

9 março 2011

Grupo inclui vice primeiro-ministro e dois ministros; violência pós-eleitoral de 2008 resultou em mais de mil mortos.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Seis figuras destacadas do Quénia foram intimadas a comparecer diante do Tribunal Penal Penal Internacional, TPI.

Segundo um comunicado, emitido esta quarta-feira pelo tribunal, os alistados incluem o vice primeiro-ministro e ministro das finanças, Uhuru Kenyata, William Ruto, que assume a pasta da Educação, Ciência e Tecnologia e Henry Kosgey, ministro da Industrialização.

Acusados

Constam na lista o chefe dos Serviços Civis, Francis Muthaura, o antigo comandante da Polícia, Hussein Ali, para além de Joshua Sang, um jornalista de rádio.

Os envolvidos devem aparecer no tribunal a 7 de Abril. Eles foram investigados por possíveis crimes contra a humanidade cometidos na violência pós-eleitoral, ocorrida há três anos. Todos negam as acusações.

Votação

Nesta terça-feira, a câmara pré-julgamento aprovou a medida com dois votos a favor e um contra.

A declaração sustenta "haver fundamentos para crer que os seis sejam directa ou indirectamente responsáveis pela autoria ou contribuição em crimes incluem assassinato, transferência forçada ou perseguição."

A violência pós-eleitoral, no Quénia, resultou em mais de mil mortos e 3,5 mil feridos, para além de 600 mil desalojados internos, em 2008.

Nesta terça-feira, o Secretário-Geral, Ban Ki-moon, discutiu os casos com o vice-presidente queniano, Stephen Musyoka, na sede da ONU em Nova Iorque.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud