Número de mortes de civis no Afeganistão subiu 15% em 2010
BR

9 março 2011

Relatório da Missão da ONU no país revela que 2777 pessoas perderam a vida em situações relacionadas a conflitos; cerca de 75% dos óbitos foram causados por forças rebeldes.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

O número de mortes de civis no Afeganistão subiu 15% em 2010, se comparado aos óbitos registrados em 2009. Ao todo, perderam a vida no conflito 2777 pessoas.

A informação é parte do "Relatório Anual Sobre a Proteção de Civis em 2010", divulgado nesta quarta-feira, em Cabul. O documento foi compilado pela Missão da ONU no país, Unama, e a Comissão Independente para os Direitos Humanos do Afeganistão.

Proteção

Segundo a Unama, nos últimos quatro anos, mais de 8,8 mil pessoas morreram no conflito afegão. A ONU disse que todas as partes envolvidas nos confrontos devem proteger os civis.

A diretora de Direitos Humanos da Unama, Georgette Gagon, disse que 2011 tem que ser o ano para o aumento da proteção.

O relatório sugere que forças rebeldes causaram 28% a mais de mortes do que no ano anterior. Já as forças do governo afegão conseguiram reduzir a quantidade de óbitos em 16%.

A maior parte das vítimas morreu durante ataques suicidas e com explosivos improvisados.

Metade dos assassinatos ocorreu nas províncias do sul do Afeganistão. Em Helmand, o aumento foi de 600%, mais que o dobro do número de mortes em Kandahar.

*Apresentação: Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud