TPI indicia homens acusados de atacar missão de paz em Darfur

9 março 2011

Tribunal diz haver fundamentos para julgar Abdallah Banda e Saleh Jerbo, acusados de comandar ataque que causou a morte de 12 capacetes azuis em Darfur.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Tribunal Penal Internacional, TPI, confirmou as acusações de crimes de guerra contra dois líderes rebeldes, suspeitos de comandar um ataque que resultou na morte de 12 capacetes azuis em Darfur. A operação ocorreu no campo de Haskanita, em Darfur Sul, em Setembro de 2007.

Abdallah Banda e Saleh Jerbo devem seguir para julgamento, anunciou nesta segunda-feira o tribunal, com sede em Haia.

Fundamentos

A Câmara de pré-julgamento do TPI encontrou "fundamentos substanciais" para crer que ambos são criminalmente responsáveis por quatro crimes de guerra, refere um comunicado do tribunal.

De acordo com a nota, os dois acusados devem responder por crimes de violência e atentado contra vida, ataques intencionais ao pessoal, instalações, material, unidades e veículos envolvidos numa missão de manutenção da paz e pilhagem.

Acusações

Além da morte de 12 soldados de manutenção da paz, foram feridos no ataque oito elementos ao serviço da missão da União Africana, AU, no Sudão, predecessora da Missão Conjunta da ONU e da AU em Darfur, Unamid.

O TPI já acusou vários elementos por alegados crimes de guerra em Darfur, incluindo o presidente sudanês, Omar al-Bashir.

Cerca de 300 mil pessoas morreram e 3 milhões foram desalojadas devido a conflitos na província sudanesa, que desde 2003 opõem grupos rebeldes, governo e milícias aliadas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud