Número de mortes no Afeganistão sobe 15% em 2010

9 março 2011

Relatório aponta para aumento de mortes de civis provocadas por elementos antigovernamentais; metade dos atentados ocorreu no sul do país asiático.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O número de mortes no Afeganistão subiu 15% em 2010, comparativamente ao ano anterior, refere um relatório publicado esta quarta-feira pela Missão da ONU de Assistência ao país, Unama, e a Comissão Independente para os Direitos Humanos do Afeganistão.

Tendência de Aumento

O "Relatório Anual Sobre a Protecção de Civis em 2010" aponta que 2,777 civis morreram no ano passado, havendo uma tendência de aumento. O conflito custou a vida de mais de 8800 civis nos últimos quatro anos.

O relatório recomenda às partes em conflito "a empreenderem esforços para proteger os civis neste ano."

Responsabilidades

A directora dos Direitos Humanos da Unama, Georgette Gagon, defende que 2011 deve ser "o ano do escalar da protecção e não do aumento de baixas civis." Ela apelou as partes em conflito "a fazer mais para cumprirem com a responsabilidade de defender os civis".

Segundo a pesquisa, elementos antigovernamentais mataram mais 28% de civis, enquanto as mortes causadas por forças do governo baixaram em 16%. Os restantes 9% não foram atribuídos a qualquer das partes do conflito.

Violência

Ataques suicidas e explosivos improvisados causaram o maior número de vítimas civis no conflito afegão no ano passado.

A pesquisa refere que metade dos assassinatos ocorreu nas províncias do sul, com um aumento de quase seis vezes em Helmand, e mais do que o dobro em Kandahar.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud