Kadafi, filhos e assessores serão investigados por violência
BR

3 março 2011

Promotor do Tribunal Penal Internacional, em Haia, disse que inquérito será neutro e poderá incluir membros da oposição caso eles também tenham cometido crimes.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O Tribunal Penal Internacional, TPI, abriu, nesta quinta-feira, uma investigação para apurar as causas e os responsáveis pela violência política na Líbia.

Segundo agências de notícias, pelo menos mil pessoas podem ter morrido nos protestos contra o líder líbio Muammar Kadafi. O anúncio do inqúerito foi feito pelo promotor do TPI, Luis Moreno Ocampo, em Haia, na Holanda.

Inquérito

Moreno Ocampo informou que os indivíduos identificados na investigação são Muammar Kadafi, os filhos e os assessores do líder líbio. Ele disse ainda que o inquérito deverá durar várias semanas e será neutro.

Segundo ele, se membros da oposição cometeram crimes, eles também serão investigados.

O promotor do TPI lembrou que manifestantes pacíficos foram atacados por forças de segurança durante os protestos contra Kadafi.

A crise política na Líbia já causou a fuga de mais de 150 mil pessoas. A maioria delas está cruzando as fronteiras com a Tunísia e com o Egito.

Na quarta-feira, a ONU pediu cerca de US$ 40 milhões, equivalentes a R$ 68 milhões, para atender os refugiados.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud