Violência contra manifestantes pacíficos é inaceitável, diz Ban
BR

3 fevereiro 2011

Em Londres, Secretário-Geral diz que é importante garantir uma “transição ordeira e pacífica” no Egito após protestos antigoverno que já podem ter matado pelo menos 300 pessoas.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas afirmaram que o uso de violência contra manifestantes pacíficos é inaceitável.

A declaração foi dada pelo Secretário-Geral, Ban Ki-moon, durante uma entrevista a jornalistas em Londres, nesta quinta-feira, ao comentar a situação no Egito.

Moderação

Segundo Ban, ambos os lados devem exercer moderação. De acordo com agências de notícias, novos atos de violência foram registrados na Praça Tahrir, no centro do Cairo, entre opositores e simpatizantes do presidente Hosni Mubarak.

Pelo 10º dia consecutivo, milhares de pessoas saíram às ruas para pedir que o presidente egípcio deixe o cargo, que ele ocupa há 30 anos.

Nesta entrevista à Rádio ONU, do Cairo, o jornalista Marcelo Torres, correspondente do SBT, conta o que viu nas ruas nesta quinta-feira.

Tendas Médicas

"Eu vi hoje na rua muitos manifestantes montando barricadas. Tiroteios, barulhos de tiro, não sei quem atirou. E a gente vê também tendas médicas, muitas vezes, nem tenda, mas médicos ou enfermeiros atendendo os feridos nas próprias calçadas da praça", contou.

A comissária de Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay, recebeu relatos de que pelo menos 300 pessoas haviam morrido nos protestos até agora. Na quarta-feira, a violência aumentou quando manifestantes pró e contra o presidente se enfrentaram na praça.

Para Ban Ki-moon, os protestos mostram a grande frustração do povo egípcio com a falta de mudança durante as últimas décadas no país. Ele disse que a insatisfação aponta para reformas e não para repressão.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud