Comissária da ONU oferece ajuda em processo contra Duvalier
BR

2 fevereiro 2011

Navi Pillay disse que crimes cometidos durante 15 anos de governo do ex-presidente haitiano não podem ficar impunes.

Pedro Nakano, da Rádio ONU em Nova York.*

A alta comissária de Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay, ofereceu assistência às autoridades haitianas que apuram acusações de crimes cometidos durante o governo do ex-presidente Jean-Claude Duvalier, também conhecido como Baby Doc.

Em nota, emitida nesta terça-feira, Pillay afirmou que "o Haiti tem obrigação de investigar violações dos direitos humanos ocorridas durante 1971 e 1985, o período em que Duvalier esteve no poder, e de julgar os devidos responsáveis".

Exílio

No mês passado, após 25 anos de exílio, o ex-presidente retornou à ilha caribenha, e dias depois ele foi indiciado por crimes de corrupção e enriquecimento ilícito.

Para a alta comissária da ONU, "as milhares de vítimas do governo Duvalier merecem justiça."

Pillay pediu às autoridades haitianas que enviem uma mensagem ao mundo ao mostrar que os tribunais do país são capazes de cobrar sérias violações dos direitos humanos, mesmo em condições políticas e humanitárias difíceis. 

*Apresentação: Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud