Banco Mundial apoia projeto para catadores de lixo no Brasil
BR

31 janeiro 2011

Iniciativa de inclusão social conta ainda com financiamento do governo do Japão e da Caixa Econômica Federal.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A Caixa Econômica Federal, o Governo do Japão e o Banco Mundial anunciaram uma parceria para promover inclusão social a cerca de 5 mil catadores de lixo no Brasil.

O financiamento, a fundo perdido, firmado na sexta-feira, é de US$ 2,7 milhões, equivalentes a cerca de R$ 5 milhões.

Condições Precárias

O projeto começará nos aterros sanitários de Jardim Gramacho e Itaoca, no Rio de Janeiro. Logo depois, viajará por outras partes do país atendendo a 5 mil pessoas na primeira fase.

O diretor do Banco Mundial no Brasil, Makhtar Diop, disse que a iniciativa ajudará a melhorar as condições precárias de trabalho dos catadores.

O projeto prevê melhorias nas áreas de saúde e segurança, aumento da produtividade e de renda e investimentos.

Pela iniciativa, devem se fechados até 2015, cerca de seis lixões para dar lugar a aterros sanitários modernos e ambientalmente sustentáveis.

Mais da metadade das cidades brasileiras tem populações de catadores de lixo. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud