Afeganistão e ONU tentam evitar recrutamento de crianças
BR

31 janeiro 2011

Acordo, firmado neste domingo, prevê ainda proteção de menores afetados por conflitos; problema foi tratado em relatório do Secretário-Geral, Ban Ki-moonn sobre o país.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A ONU e o governo do Afeganistão assinaram um tratado para evitar que crianças sejam recrutadas pelas Forças Armadas.

Pelo acordo, assinado neste domingo, o país também terá que proteger menores afetados por conflitos.

Relatório

As Nações Unidas foram representadas na cerimônia, em Cabul, pela enviada do Secretário-Geral para Crianças e Conflitos Armados, Radhika Coomaraswamy, e pelo chefe da Missão da ONU no Afeganistão, Staffan de Mistura.

Em abril do ano passado, a Polícia Nacional Afegã foi citada num relatório sobre o tema por recrutar menores para suas fileiras.

O governo respondeu ao problema fundando uma Comissão Interministerial. O plano de ação, anunciado neste domingo, é uma das providências tomadas para combater o recrutamento de crianças.

Uma das medidas será o fortalecimento do processo de registro de nascimentos com mecanismos de certificação da idade das crianças. Além disso, a polícia também investigará e abrirá processos contra quem recrutar menores ou praticar violência sexual.

O representante do Unicef no Afeganistão, Peter Crowley, disse que a assinatura do Plano de Ação marcava também a renovação do compromisso do governo afegão de reforçar padrões internacionais para acabar com a presença de crianças a serviço das forças de segurança.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud