Unesco deplora morte de jornalista durante crise na Tunísia
BR

20 janeiro 2011

Fotógrafo francês, Lucas Mebrouk Dolega, foi ferido de forma fatal durante manifestações na segunda-feira.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A Unesco emitiu uma nota deplorando a morte de um jornalista francês durante protestos de rua na Tunísia.

Lucas Mebrouk Dolega era fotógrafo e foi ferido gravemente durante as manifestações, na semana passada.

Dolega, de 32 anos, trabalhava para a Agência Europeia de Imprensa. Segundo testemunhas, ele foi atingido por um cilindro de gás lacrimogêneo na capital Túnis, no último dia 14.

Alegações

Em nota, a diretora-geral da Unesco, Irina Bokova, disse que a morte dele é um lembrete trágico das situações difíceis e perigosas enfrentadas por profissionais de imprensa frequentemente.

As manifestações na Tunísia já resultaram na morte de 100 pessoas. A crise começou em dezembro, quando manifestantes saíram às ruas para protestar contra os altos preços dos alimentos e sobre alegações de corrupção no país.

Com a crise, o ex-presidente Zine El Abidine Ben Ali, dissolveu o Parlamento e demitiu todo o gabinete. Horas depois, ele mesmo teve que deixar o poder, fugindo do país.

Ministros

As tensões não diminuíram nem mesmo com a chegada de um governo provisório. Na terça-feira, três ministros pediram demissão por discordar da presença de alguns colaboradores do ex-presidente no gabinete.

Em nota sobre a morte do jornalista francês na Tunísia, a chefe da Unesco disse que as autoridades de cada país são responsáveis pela segurança dos trabalhadores da mídia. Ela pediu que o governo ajude a explicar as circunstâncias que levaram à morte do fotógrafo.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud