Sobe para 247 mortos em violência política em Cote d’Ivoire

14 janeiro 2011

Alto Comissariado de Direitos Humanos reporta 247 mortos; Unoci deplora ataque contra viaturas da ONU na capital marfinense.

[caption id="attachment_190132" align="alignleft" width="175" caption="Foto: Unoci"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O número de mortos na crise política em Cote d'Ivoire, também conhecida como Costa do Marfim, subiu para 247, de acordo com Alto Comissariado da ONU de Direitos Humanos.

Segundo a agência, o número de pessoas desaparecidas soma 49.

Ataque

Segundo a missão da ONU em Cote d'Ivoire, Unoci, forças leais a Laurent Gbagbo atacaram seis veículos da ONU, esta quinta-feira, na capital Abidjan, provocando dois feridos.

O porta-voz do Alto Comissariado de Direitos Humanos, em Genebra, Rupert Colville, frisou que a Unoci diz estar por verificar informações sobre a existência de valas comuns.

Investigações

Segundo o porta-voz, a missão recebeu informações sobre a existência de valas comuns mas ainda não foi capaz de investigar a sua existência. Ele adiantou que esforços estão a ser feitos pela Unoci para investigar foram frustrados pelas Forças Armadas do país, que evitaram que membros da missão chegassem os alegados locais.

Na quinta-feira, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon advertiu às forças leais ao presidente de Cote d'Ivoire que serão responsabilizadas pelos ataques criminosos contra as forças de manutenção de paz na ONU.

Agravamento

Por seu turno, o escritório da ONU de Assistência Humanitária, Ocha, advertiu que a deterioração da crise ameaça a subsistência de milhares de marfinenses .

A crise foi motivada pela recusa de Laurent Gbagbo em deixar o poder, apesar da comunidade internacional ter confirmado a vitória de Alassane Ouattara na segunda volta das presidenciais, ocorridas a 28 de novembro.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud