Cruz Vermelha faz balanço de operações no Haiti
BR

6 janeiro 2011

Organização avalia que reconstrução do país é uma meta de longo prazo; pelo menos um milhão de pessoas ainda vivem em acampamentos.

Alessandra Ribeiro, da Rádio ONU em Nova York.

Depois de um ano do terremoto ocorrido no Haiti, a Cruz Vermelha diz que, apesar dos progressos, a reconstrução do país ainda vai levar tempo.

Segundo um relatório da organização, a ajuda para que as famílias voltem a viver em condições normais e o reestabelecimento das instituições públicas são metas de longo prazo.

Ajuda

A Cruz Vermelha já atendeu mais de 1,2 milhão de pessoas vítimas do terremoto e do surto de cólera no Haiti. A entidade gastou quase US$ 300 milhões, equivalentes a R$ 500 milhões, nas operações no país.

A organização alerta para os desafios que ainda precisam ser resolvidos. Segundo o relatório, mesmo com todos os esforços da comunidade internacional, pelo menos um milhão de pessoas ainda vivem em acampamentos no Haiti.

A Cruz Vermelha revela que os planos para construir abrigos "foram prejudicados pelo sistema informal de propriedade terra em vigor no país."

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud