Crise marfinense pode causar mais de 2 milhões de necessitados

4 janeiro 2011

Fundo das Nações Unidas para a Infância estima entre 20 mil e 25 mil o número de deslocados marfinenses a viver nos países vizinhos.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Cerca de 2,4 milhões de pessoas estão em risco de ser afectadas pela situação política em Cote d'Ivoire, também conhecida como Costa do Marfim, de acordo com agências humanitárias na África Ocidental.

O número inclui 450 mil deslocados internos de Cote d'Ivoire e cerca de150 mil pessoas que se espera que venham a se deslocar para cinco países vizinhos, nomeadamente a Libéria, Guiné-Conacri, Mali, Burquina Faso e Gana.

Mulheres e Crianças

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, situa entre 20 mil e 25 mil o número de deslocados marfinenses que vivem nos países vizinhos. Cerca de 75% são mulheres e crianças.

O Unicef refere que serão necessários US$ 20 milhões para responder às necessidades das crianças e mulheres afectadas pela crise pós-eleitoral no país e na região.

A Cote d'Ivoire tem estado mergulhada numa situação de incerteza política, após o presidente em exercício, Laurent Gbagbo, ter-se recusado a aceitar os resultados eleitorais nas presidenciais de 28 de novembro.

As Nações Unidas endossaram a vitória de Alassane Ouattara, apesar de Gbagbo reclamar vitória no pleito.

Violações

Entretanto, a alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay, dirigiu cartas individuais a vários líderes do país da África Ocidental.

Ela lembrou a Laurent Gbagbo e aos comandantes da Guarda Republicana, da Marinha e das Operações de Segurança, que deverão prestar contas por violações resultantes das suas acções ou omissões, de acordo com o direito internacional dos direitos humanos e a lei internacional humanitária.

Necessidades

O Unicef diz haver maior necessidade de água limpa, comida e abrigo para os desalojados internos, refugiados e membros das comunidades anfitriãs, para além de serviços de protecção, saúde e educação.

A agência afirma estar a enviar esforços para distribuir água potável, condições sanitárias e de higiene em Cote d'Ivoire, em quantidade suficiente. O objectivo é reduzir o risco de ocorrência de diarreias, cólera e outras doenças transmitidas pela água em cerca de 182 mil pessoas.

Deste número, o Unicef espera alojar 50 mil crianças em acampamentos e 132 mil nas comunidades anfitriãs.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud