Seca rigorosa ameaça agravar situação alimentar na Somália

31 dezembro 2010

Escritório das Nações Unidas para a Assistência Humanitária refere-se ao impacto do fenómeno nas vidas de milhares de somalis.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Escritório das Nações Unidas para a Assistência Humanitária, Ocha refere que a seca rigorosa continua a afectar grande parte da Somália, incluindo as regiões da Somalilândia e Puntlândia.

De acordo com agências, a situação de seca prevalecente no país teve impacto nas vidas de milhares de somalis e no seu gado.

Agravamento

O Ocha aponta para o agravamento da situação nas regiões de Bay, Bakool e Gedo onde previsões indicam que a crise deverá piorar caso não haja ajuda humanitária.

O Programa Mundial de Alimentação, PMA, refere ter preparado um plano de contingência para beneficiar cerca de 160 mil carenciados, que se juntam aos cerca de 1.2 milhões que recebem assistência alimentar

A agência diz serem necessários 17,7 milhões de dólares para aquisição de bens de primeira necessidade para distribuição para as populações do país do Corno de África.

Acesso a Alimentos

Há registos de migração das populações para a capital, Mogadíscio, particularmente para as áreas controladas pelo Governo Federal de Transição, em busca de cereais a preços baixos.

Segundo o Ocha, os cereais são mais acessíveis nas regiões controladas pelo Governo Federal de Transição em relação às regiões de influência da oposição.

A situação está na origem de um número crescente de mendigos nas regiões de Juba e nos centros urbanos da Somália.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud