Arranca novo mandato da Uniogbis na Guiné-Bissau

29 dezembro 2010

Novas componentes da missão incluem a luta contra o narcotráfico e a reforma do sector da defesa e segurança.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Escritório das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau, Uniogbis, diz ter feito um reforço estrutural para alcançar os objectivos do novo mandato a arrancar a 1 de janeiro de 2011.

Segundo o escritório, a equipa passou a integrar especialistas provenientes de Angola, Brasil, Moçambique, Portugal, Espanha, Paraguai e Zimbabué.

A 1 de Abril, o país de expressão portuguesa da África Ocidental teve uma crise político-militar. Em Novembro, o Conselho de Segurança da ONU decidiu estender o mandato da Uniogbis até 1 de janeiro de 2012.

Roteiro

Numa resolução, o órgão recomendou ao Secretário-Geral e à Uniogbis para apoiarem o roteiro concebido para ultrapassar a situação de instabilidade, desenvolvido pela Comunidade dos Países da África Ocidental, Cedeao, e pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp.

Em entrevista à Rádio ONU, o porta-voz da Uniogbis, Vladimir Monteiro, em Bissau, disse que a colaboração das autoridades guineenses marca as vésperas do arranque do novo mandato da Uniogbis.

"O facto de termos um novo mandato de um ano significa que as autoridades nacionais da Guiné-Bissau deram o seu apoio nesse sentido. Quanto à Uniogbis, reforçou de forma substancial. O Departamento de Reforma do Sector da Defesa e Segurança tem uma média de 15 a 20 pessoas.

Mais ou menos 12 a 15 polícias de diferentes países que intervém em várias áreas: capacitação, formação e reforço, no quadro do reforço do Estado de Direito e das diferentes instituições ligadas à reforma, quer no exército, quer na polícia, quer na justiça", disse.

Objectivos

O objectivo da missão é contribuir para estabilizar o ambiente político, segurança, socioeconómico conducente à consolidação da paz e plena realização dos direitos humanos.

O mandato prevê que a Uniogbis, em coordenação com a Cedeao,preste maior assistência às autoridades guineenses no combate ao narcotráfico, crime organizado e tráfico humano.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud