OMS ajuda Uganda a combater surto de febre-amarela (Português África)

28 dezembro 2010

Autoridades sanitárias ugandesas disseram que a doença já provocou pelo menos 45 mortos e que estão a seguir 183 casos suspeitos.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Organização Mundial de Saúde, OMS, está a prestar assistência ao Ministério da Saúde do Uganda para conter o surto de febre-amarela que já provocou pelo menos 45 mortos.

O Ministério da Saúde do Uganda aponta para a existência de cerca de 183 casos suspeitos da doença em todo o país.

A febre amarela é uma doença viral, transmitida aos humanos através da picada de mosquitos infectados.

Trabalhos

Em entrevista à Rádio ONU, o porta-voz do Ministério da Saúde do Uganda, Paul Kagwa disse estar a trabalhar com a OMS para conter a doença nos distritos mais afectados no norte do país, para os quais foram criadas, pelo governo, brigadas especiais e unidades de isolamento.

Segundo o porta-voz, o trabalho em conjunto com a OMS, através dos seus escritórios regionais, a sede em Genebra bem como com outras organizações, tinha em vista o desenvolvimento de uma vacina contra o surto.

Os primeiros casos do surto de febre-amarela que assola o Uganda foram detectados em Novembro, tendo sido confirmados há cinco dias.

A OMS estima que todos os anos ocorram 200 mil casos da febre-amarela em todo o mundo resultando em 30 mil mortes. O Uganda viveu o último surto de febre-amarela nos anos 70.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud