Migrantes têm papel fundamental na economia, diz Ban
BR

17 dezembro 2010

Secretário-Geral faz um apelo aos países para que ratifiquem a Convenção Internacional sobre a Proteção dos Direitos dos Trabalhadores Migrantes; em mensagem, ele lembra que muitos migrantes sofrem violações dos seus direitos, xenofobia e exploração.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Em mensagem para marcar o Dia Internacional dos Migrantes, comemorado neste sábado, o Secretário-Geral da ONU lembrou o papel fundamental dos migrantes para o fortalecimento da economia global.

Segundo Ban Ki-moon, os efeitos múltiplos da crise ainda estão sendo sentidos, afetando os 214 milhões de migrantes internacionais. Ban citou o aumento do desemprego e como consequência, a maior discriminação.

Preconceito

O Secretário-Geral afirmou que enquanto para muitos a experiência de viver fora do país de origem pode ser enriquecedora, outros sofrem violações de direitos humanos, xenofobia e exploração.

Ban reforçou que os migrantes contribuem para o crescimento econômico e enriquecem as sociedades por meio da diversidade cultural e troca de conhecimento.

De Genebra, a chefe da Organização Internacional para Migrações, Mônica Goracci, destacou à Rádio ONU os efeitos da crise econômica para os que vivem fora do país de origem.

Impactos

"Os desafios que o mundo está vendo neste momento são vários. Começando pela crise continuada e prolongada, que claramente tem um impacto nas migrações e na visão por parte do Estado e dos cidadãos sobre os migrantes", disse.

Segundo Mônica Goracci, poucas vezes é debatido o impacto positivo dos migrantes para a economia e a segurança social dos países.

Já o Secretário-Geral, Ban Ki-moon, também fez um apelo em sua mensagem para que as nações ratifiquem a Convenção Internacional sobre a Proteção dos Direitos dos Trabalhadores Migrantes.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud