Especialista apela a libertação de activistas e jornalistas no Sudão

17 dezembro 2010

Segundo Mohammed Othman, Cartum não especificou acusações contra grupo que integra activistas de direitos humanos e jornalistas nacionais.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque

Um perito independente das Nações Unidas apelou ao governo sudanês a levar à justiça ou a libertar imediatamente a um grupo de 11 activistas de direitos humanos e jornalistas.

Os elementos foram detidos pelo Serviço Nacional de Segurança do Sudão entre 30 de Outubro e 3 de Novembro deste ano e, desde então, estão incomunicáveis.

Legalidade

Segundo Mohammed Othman, o governo sudanês não especifica as acusações contra o grupo e nem permitiu que tivessem acesso à assistência legal ou de um juiz que verificasse a legalidade das suas detenções.

O perito disse que o mais preocupante é que a prisão dos 11 pode estar ligada a actividades legítimas em prol dos direitos humanos.

Situação no País

Segundo referiu, o Sudão ratificou a Aliança Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, que garante a liberdade de expressão e proíbe prisões arbitrárias.

O especialista, disse que outro motivo de preocupação era a situação dos defensores dos direitos humanos em todo o país, num momento em que o Sudão prepara um referendo sobre a situação do sul do país.

A votação, que está agendada para 9 de Janeiro de 2011, é parte do Acordo Abrangente de Paz, que pôs termo a duas décadas de conflito entre o norte e o sul.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud