Guiné-Bissau obtém perdão da dívida externa, dizem órgãos

17 dezembro 2010

Aprovação da medida pelo FMI e Banco Mundial reduz em 87% a dívida externa do país da África Ocidental.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O FMI e o Banco Mundial aprovaram nesta quinta-feira o perdão da dívida da Guiné-Bissau, avaliada em US$ 1,2 mil milhão. Com a medida, a dívida do país reduz em 87%.

Ambas as instituições admitem que o país da África Ocidental seguiu todos os passos para atingir a etapa final ou "Ponto de Conclusão" da iniciativa de apoio aos países altamente endividados, Hipc.

Ponto de Conclusão

O alcance do ponto de conclusão permite que a Guiné-Bissau seja elegível para a Iniciativa Multilateral de Alívio da Dívida, conhecida por Mdri.

Paulo Drummond, da missão do FMI na Guiné-Bissau, assinalou os progressos alcançados pelo país nos últimos anos, o reforço das suas políticas e o desempenho macroeconómico após um período prolongado de instabilidade política.

Desempenho Económico

Segundo apontou, o facto de ter alcançado o "Ponto de Conclusão" vai ajudar a melhorar as suas relações com credores externos.

Ele explicou que o país estará em condições de caminhar para a sustentabilidade da dívida, enviando uma mensagem positiva aos doadores e possíveis investidores.

Diversificação

O Banco Mundial e o FMI apontam, entretanto, para a necessidade das autoridades guineenses assegurarem a estabilidade política, progressos nas reformas económicas - incluindo no sector da segurança.

As instituições recomendam ainda que a Guiné-Bissau aposte na diversificação das exportações com vista à mobilização de mais receitas domésticas para que alcance uma sustentabilidade a longo prazo e progressos nos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud