Antigo comandante ruandês condenado à prisão perpétua

6 dezembro 2010

Ildephonse Hategekimana foi declarado culpado de três acusações de genocídio pela morte de tutsis.

[caption id="attachment_170022" align="alignleft" width="175" caption="Genocídio em 1994"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Um antigo comandante do exército ruandês foi sentenciado à prisão perpétua pelo Tribunal Criminal para o Ruanda pela sua participação no genocídio de 1994 no país.

Ildephonse Hategekimana, que ocupava a patente de tenente do exército ruandês, foi declarado culpado de três acusações de genocídio pela morte de tutsis num acampamento de Ngoma, nos arredores da pequena vila de Butare onde era comandante.

Campo

As acusações contra Hategekimana incluem a prática de crimes contra a humanidade e assassinato de vários tutsis raptados num convento próximo ao campo e posterirmente violados. Ele declarou-se inocente de todas as acusações.

Hategekimana foi preso a 16 de Fevereito de 2003, no Congo Brazzaville, e transferido para instalações de detenção das Nações Unidas em Arusha, na Tanzania, a 19 de Fevereiro.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud