COP-16 apresenta em Cancún esboços de decisões sobre o clima
BR

6 dezembro 2010

Delegados prometem reforçar apoio a países em desenvolvimento, executar projetos de transferência de tecnologia e engajar sociedade civil; textos devem ser apresentados na sexta-feira.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

 A Conferência sobre Mudança Climática, COP-16, que ocorre em Cancún, no México, informou que dois esboços de decisão devem ser apresentados no final do encontro, nesta sexta-feira.

O acordo foi fechado por dois órgãos que pertencem à Convenção sobre Mudança Climática, Unfccc.

Transferência

Pelos documentos, os delegados prometem reforçar o apoio aos países em desenvolvimento em ações de proteção ao meio ambiente, incluindo transferência de tecnologia.

A presidente da conferência e secretária do Exterior do México, Patricia Espinosa, disse que os avanços são importantes para reforçar o combate ao aquecimento global.

Segundo ela, o acordo também demonstra a boa fé dos países. Agências de notícias informam que durante o fim de semana, a ministra pediu o apoio do Brasil e da Grã-Bretanha para se chegar a um acordo final.

Processo de Decisão

As delegações também concordaram em aumentar o mandato do grupo de peritos dos países menos desenvolvidos, PMD, para cinco anos. O grupo dá diretrizes técnicas e faz recomendações sobre implementação de programas de ação nacionais. Uma das propostas atuais é a de mais investimento em economia verde.

O especialista da Conferência sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad, Lucas Assumpção, falou à Rádio ONU, de Genebra, sobre a fase de implementação pelos países.

"Alguns países inclusive veem na ‘Economia Verde', nesse novo conceito, novas oportunidades. O que a Unctad faz é analisar o que seriam as tendências em alguns mercados, como o de energia, por exemplo. Enfim, tudo o que está relacionado com novos produtos, fabricados de uma maneira mais leve, tecnologias que implicam em menor intensidade de material na produção. Nós fazemos análises, discussões abertas onde a gente pode avaliar quais seriam aqueles setores que ganhariam e outros que talvez não ganhassem", disse.

Uma outra medida anunciada em Cancún será a promoção de mais engajamento da sociedade civil no processo de decisão dos países e das Nações Unidas.

A chefe do Unfccc, Christiana Figueres, disse que ações mais rápidas e mais eficientes para combater o aquecimento global dependerão de uma maior participação de todos os setores da sociedade civil.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud