Haiti pede reforço no pessoal de saúde para enfrentar cólera (Português Brasil)

30 novembro 2010

Segundo OMS, país precisa de mais 350 médicos e 2 mil enfermeiros para lidar com o surto; mais de 1,6 mil pessoas morreram e 70 mil foram hospitalizadas com sintomas.

[caption id="attachment_187725" align="alignleft" width="175" caption="Foto: Minustah"]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

A Organização Mundial da Saúde, OMS, informou que o Haiti vai precisar de mais 350 médicos e 2 mil enfermeiros para lidar com a epidemia de cólera.

Os níveis de contaminação estão aumentando mais que o previsto, e já afetam 70 mil pessoas. Ao todo, a doença já fez pelo menos 1,6 mil vítimas fatais desde o início do surto no mês passado.

Situação Precária

A OMS estima que até 400 mil pessoas possam contrair o cólera pelos próximos três meses na ilha caribenha.

O sistema de saúde pública do país está em situação precária por causa do terremoto de 12 de janeiro.

Muitos especialistas temiam que o surto de cólera fosse piorar com a movimentação para as eleições gerais, realizadas no domingo.

Abstenção

De Porto Príncipe, o coronel Carlos Aversa, da Missão da ONU no Haiti, Minustah, contou à Rádio ONU, que resultados ainda não-confirmados, sugerem que o nível de abstenção foi baixo.

"Eu não tenho conhecimento de que este número tenha sido efetivamente fechado. Mas as primeiras informações que nós temos é que o nível de comparecimento foi bem maior do que nas últimas eleições. Por enquanto, é só uma informação preliminar. Ela não foi confirmada porque a logística de transporte das urnas até os centros de apuração é uma questão um pouco complexa no Haiti", disse.

Os resultados das eleições haitianas estão sendo esperados para a próxima semana.

*Apresentação: Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud