ONU apela a Angola e RD Congo que investiguem violações (Português África)

8 novembro 2010

Representante do Secretário-Geral da ONU sobre Violência Sexual em Conflitos, Margot Wallström, afirma que é essencial evitar abusos durante processos de expulsão em ambos os países.

João Duarte, da Rádio ONU em Londres.

Uma destacada funcionária das Nações Unidas apelou às autoridades de Angola e da República Democrática do Congo no sentido de investigarem alegações de violações contra mulheres.

Num dos casos mais recentes, mais de 150 congoleses teriam sido expulsos pelas autoridades angolanas, incluindo um grupo de 30 mulheres que teriam sido alvo de repetidas violações.

Autoridades

De acordo com os relatos, os crimes teriam ocorrido durante recentes expulsões de Angola para a República Democrática do Congo.

Em declarações emitidas no Sábado, a representante do Secretário-Geral das Nações Unidas sobre Violência Sexual em Conflitos, Margot Wallström, afirma esperar que as autoridades de ambos os países investiguem os relatos de violação assim como façam os possíveis para evitar todo o tipo de abusos durante os processos de expulsão.

Apoio

Segundo Wallström, apesar de não ser claro onde é que as violações ocorreram e quem foram os responsáveis, é fundamental que as alegações sejam investigadas e os criminosos levados à justiça.

De acordo, com a representante, uma missão interagências das Nações Unidas encontra-se na região a fim de prestar apoio e monitorizar os incidentes de alegada violência sexual.

No mês passado, o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação dos Assuntos Humanitários, Ocha, alertou para a possibilidade de mais expulsões entre Angola e a República Democrática do Congo.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud