Novo premiê somali promete combater uso de crianças-soldado
BR

4 novembro 2010

Mohammed Abdullahi Mohammed nomeará encarregado para plano de ação e libertação de todas os menores recrutados; país do leste da África vive conflito civil desde 1991.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A representante especial do Secretário-Geral da ONU sobre Crianças e Conflitos Armados, Radhika Coomaraswamy, reuniu-se com o novo primeiro-ministro da Somália, nesta terça-feira, para debater o problema no país.

No encontro na capital Mogadíscio, o premiê, Mohammed Abdullahi Mohammed, disse que seu governo está comprometido com a erradicação da prática.

Assassinatos

Abdullahi Mohammed afirmou que vai nomear um encarregado do tema. A proposta do governo é apresentar um plano de ação, em parceria com a ONU, que assegure a libertação de crianças recrutadas. O país do extremo leste da África vive um conflito civil desde 1991.

Radhika Coomaraswamy também falou com o comandante da Missão da União Africana na Somália, Nathan Mugisha, sobre sua preocupação com os assassinatos e mutilações de civis incluindo crianças.

A maioria dos casos advém de bombardeios indiscriminados. A representante de Ban Ki-moon disse que "infelizmente" não tem acesso ao movimento Al Shabaab que é listado pelo Secretário-Geral da ONU como um dos grupos que recrutam crianças.

Menina

Numa de suas visitas a um acampamento de deslocados internos, Coomaraswamy ouviu uma menina de nove anos dizer que "o maior medo dela, além dos ladrões, era a respeito de homens que violentavam meninas e mulheres durante a noite."

Muitos deslocados pela violência na Somália ainda carregam balas em seus corpos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud