ONU condena ataque à igreja que matou 52 em Bagdá
BR

1 novembro 2010

Templo Nossa Senhora da Salvação foi tomado por homens armados durante missa do domingo; segundo testemunhas, eles exigiam a libertação de militantes da Al-Qaeda que estão em cadeias.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

O representante especial do Secretário-Geral da ONU no Iraque, Ad Melkert, condenou com veemência o ataque a uma igreja católica de Bagdá, que ocorreu neste domingo.

Segundo agências de notícias, pelo menos 52 pessoas morreram, incluindo terroristas suicidas que haviam invadido o templo Sayidat al-Nejat, ou Nossa Senhora da Salvação, horas antes.

Reféns

Testemunhas contaram que eles exigiam a libertação de prisioneiros da Al-Qaeda. As mortes ocorreram quando a polícia iraquiana iniciou uma tentativa de resgate dos fieis, mantidos como reféns.

Dezenas de pessoas ficaram feridas na operação. Cerca de 100 pessoas estavam participando na missa noturna na hora do ataque.

Al Melkert deu pêsames às famílias das vítimas e ao governo iraquiano.

Ele disse que a violência contra iraquianos, de origens diferentes, continua a gerar perda de vidas todos os dias. Melkert voltou a pedir aos líderes do país que apressem a formação de um governo para assegurar a proteção de seus cidadãos.

Os cristãos do Iraque pertencem a denominações de tempos bíblicos como os caldeus e os assírios. Antes da guerra em 2003, havia cerca de 1 milhão de cristãos no país, mas o número tem diminuído por causa da violência sectária.

*Apresentação: Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud