Português indicado para integrar quadro diretor do FMI

27 outubro 2010

Segundo diretor-gerente do órgão, António Borges seria “ideal para assumir o comando do Fundo na Europa”; economista é professor visitante da Universidade americana de Stanford.

Susete Sampaio, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O diretor-gerente do Fundo Monetário Mundial, FMI, Dominique Strauss-Kahn, informou a sua intenção em destinar o cargo de diretor do departamento europeu do Fundo ao economista português, António Borges.

Strauss-Kahn fez o anúncio esta terça-feira, mas a confirmação depende de aprovação. O cargo seria ocupado já no fim do próximo mês.

Experiência Académica

O português é atualmente o presidente do Hedge Fund Standards Board, de Londres. António Borges será o sucessor do polaco Marek Belka, que deixou o cargo para tornar-se diretor do Banco Central do seu país.

O diretor do FMI disse que "Borges combina os setores público e privado, com a experiência académica, e comprovou as suas capacidades de liderança estratégica e organizacional". Strauss-Kahn disse que o considera "ideal para assumir o comando do trabalho do Fundo na Europa nesta altura crítica."

António Borges, é doutor em Economia pela Universidade de Stanford, tendo sido vice-presidente e diretor da Goldman Sachs Internacional em Londres, pelo período de 2000 a 2008.

De 1990 a 1993 foi vice-diretor do Banco de Portugal. Desde o mesmo ano e até 2000, lecionou Economia e foi decano da Escola de Economia de Insead, de Fontainebleau, em França.

Tem também dado aulas como professor convidado em economia na Universidade Nova de Lisboa, na Universidade Católica portuguesa, e na Universidade de Stanford.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud