Ban: Mianmar ainda tem tempo para eleições inclusivas
BR

26 outubro 2010

A duas semanas do pleito birmanês, Secretário-Geral diz em viagem à Ásia que país ainda pode libertar prisioneiros políticos incluindo a Prêmio Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

Para as Nações Unidas, Mianmar, a antiga Birmânia, ainda tem tempo para realizar eleições inclusivas. A declaração foi feita pelo Secretário-Geral, Ban Ki-moon, nesta segunda-feira durante uma viagem à Tailândia.

A votação em Mianmar, que é chefiado por uma junta militar, irá ocorrer em 7 de novembro. O país mantém em prisão domiciliar a Prêmio Nobel de Paz e líder da oposição, Aung San Suu Kyi, além de vários outros presos políticos.

Razões

Ban disse que Mianmar precisa libertar todos os detidos, por razões políticas, para fazer uma eleição mais participativa.

Ele disse que todos esperam que o pleito seja livre, crível e inclusivo.

A eleição será apenas a terceira multipartidária do país desde a independência da antiga Birmânia, há 60 anos.

O Secretário-Geral encerrou o comentário dizendo que a votação será um teste para o governo de Mianmar.

Analistas dizem que as eleições serão também uma prova da forma como Mianmar responde às expectativas da comunidade internacional.

Apresentação: Eduardo Costa Mendonça, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud