Conflitos no norte da Somália fizeram 60 mil deslocados na última semana

26 outubro 2010

Muitos habitantes fugiram para cidades vizinhas e para o Quénia.

[caption id="attachment_184531" align="alignleft" width="175" caption="Deslocados somalis"]

Susete Sampaio, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Cerca de 60 mil somalis foram deslocados na última semana como resultado dos fortes confrontos civis na cidade do Norte da Somália, Beled Hawo.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, revela que os conflitos pelo controlo da cidade entre o grupo Al Shabaab, as milícias e o Governo transitivo fizeram, pelo menos, 10 mortos.

Fronteira do Quénia

O porta-voz do Acnur, Andrej Mahecic, disse que 5 mil refugiados que fugiram dos combates já foram rastreados e registados no lado queniano da fronteira, embora se acredite que 20 mil pessoas já a tenham atravessado.

A maioria dos somalis fugiu para as cidades vizinhas. Dos 40 mil deslocados no país, a maior parte refugia-se debaixo de árvores, sem abrigos, água, comida ou qualquer instalação sanitária.

Risco de doenças

Dos que passaram a fronteira para a cidade do norte do Quénia, Mandera, muitos alugam casas ou são hospedados pela comunidade local, enquanto aguardam para morrer a lutar antes de tomar a decisão de como regressar a casa.

Atualmente existe um risco de surto de doenças, devido às chuvas dos últimos dias.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud